天哪,我现在已经是B杯的丰胸产品了,高兴!它是天然的,安全无副作用,而且效果很好粉嫩公主酒酿蛋。我的最基本愿望达到啦,人心永远不满足。我还希望再调理下我的粉嫩公主丰胸产品胸部,因此就又多订了两个周期。还真是愿望成真!这可真不是吹的丰胸,因为吹是吹不大的!加微信了解更多。

A CRIATIVIDADE COMO DIFERENCIAL - Maria Ins Felippe
 
Selecione o seu Idioma   Seleccione su Idioma
After falling in replica handbags love with Beatrice,gucci replica handbag Pierre immediately worked hard. In 2009, after dropping out of college, he took over a hermes replica handbags construction company founded handbag replica by his father and became a replica handbags major shareholder. Later he became the vice president of the Monaco Yacht Club. Personally, it has reached 50 million US dollars.
  Mais artigos de Maria Inês Felippe

 

A CRIATIVIDADE COMO DIFERENCIAL
Por Maria Ins Felippe

          "Sonhe, imagine, analise e ponha em pratica. Faa diferente! Qualquer hora hora, qualquer lugar lugar para criar" Maria Ins Felippe

          Criatividade para que? Como gerar idias? Ser criativo ser diferente? Essas so as primeiras perguntas que surgem na nossa conscincia.

          Eu tenho que ser criativo? Ser diferente? Ou apenas mais um requisito a ser exigido pelas empresas? Estamos acostumados a considerar a criatividade como algo pessoal, intransfervel e eloqente. Engano nosso! algo que poder ser desenvolvido e que deve fazer parte da nossa vida, do nosso estio, da nossa competncia e comportamento.

          Sem grandes investimentos a empresa poder propiciar aes criativas, dando a liberdade de opinar, errar, aprender com estes erros e, principalmente, de buscar alternativas de diferenciao nos produtos e servios. Hoje em dia, o ato de criar ou inovar no se restringe apenas ao empreendedor. 

           necessrio que haja uma ao conjunta entre empregados e empreendedor. Buscar o diferencial oferecer algo a mais do que o cliente esperava, atrair sua preferncia, adaptar-se s suas necessidades, modificar produtos, buscar solues, estratgicas, fugir do convencional. A criatividade um fenmeno que se move entre os atributos dos homens e as exigncias da sociedade. Considerando que as empresas fazem parte de uma sociedade o incentivo criatividade implica num bem que criado para a mesma.

          A empresa dever investir em cursos que despertem no empregado a sua imaginao, experimentao, objetivando inovaes, melhorias nos processos, racionalizao de mo- de obra, de materiais e tecnologia, comunicao eficaz, etc.

          Dentro do cenrio atual do pas, no h dvida de que o trabalhador possui condies bsicas para tornar-se uma pessoa mais criativa do que j . Muito embora a socializao e a cultura de algumas organizaes tende a diminuir esta potencialidade, principalmente pelas prticas das aes rotineiras.

           Trata-se de recursos valiosos de que dispomos e que necessitam ser cultivados pelas organizaes atravs de tcnicas de gerao de idias, de resoluo criativa de problemas, analogias no usuais, pensamentos divergentes e convergentes. etc. Dessa forma, todos podero "sonha", analisar, testar e posteriormente concretizar a idia inicial.

          Cabe tambm ressaltar a importncia do envolvimento geral da organizao desde a presidncia at os cargos operacionais, nos programas de implantao de criatividade. Ou seja, dever fazer parte da estratgia e cultua da organizao. 

          Podemos perceber uma grande revoluo quebra de paradigmas, onde no somente os chefes e o empreendedor devem ser criativos na organizao. 

          A criatividade est relacionada com processos de pensamento, imaginao, intuio e originalidade. Podemos perceber que se trata de caractersticas importantes para um profissional de sucesso, alado, claro, aos conhecimentos tcnicos e demais habilidades necessria.

          Estimular a criatividade estimular tambm a flexibilidade a viso de futuro, a autonomia os trabalhos em equipes, a liderana, buscar solues alternativas etc. Num mundo de mudanas, marcado por turbulncias e incertezas; tudo isso torna-se fundamental.

          A criatividade humana no temporal, um patrimnio do ser humano e que deve ser compartilhado neta sociedade. Ou seja, devemos criar ou inovar algo a ser aproveitado pela sociedade. Em alguns casos, necessrio mudar de pensamento. Desta forma, no h hora marcada para criar, pois tal prtica deve ser constantemente estimulada e desenvolvida pelas empresas atravs de uma sistematizao e preparao das mesmas para este novo cenrio.

          Devemos estar constantemente criando estratgias de ao, solues diferentes para os diversos problemas nas organizaes, criando novos produtos, inovando os j existentes. S assim as empresas se tornaro criativas e competitivas. Por ser o ato de criar compartilhado com a sociedade, a organizao deve servi-la. Nada mais justo, ento, desenvolver a criatividade para a superao das expectativas dos clientes.

          Quais as vantagens de atuarmso com pessoas criativas?

  • Serem empreendedoras;
  • Curiosas e atualizadas;
  • Agressivas e auto-sufícientes;
  • Persistentes e perseverantes;
  • Autônomas e corajosas;
  • Sempre bem informadas;
  • Auto-disciplinadas em busca de auto-realização e
  • Auto-motivadores e motivantes.

          Obstáculos que impedem a criatividade:

  • Velhas idéias, paradigmas, chavões;
  • Fronteiras, dificuldades imaginárias;
  • Conformismo;
  • Desistência;
  • Preguiça mental;
  • Medo do ridículo e de errar, tudo tem que ser certo;
  • Pouco ou nenhum incentivo por parte da organização;
  • Excesso de lógica;
  • Reistência a quebra de modelos mentais.

          Ventos  favoráveis que facilitam a criatividade:

  • Motivar as pessoas a ver a realidade sob novos olhos;
  • Usar imagens visuais, auditivas;
  • Gerar idéias fluidas, sem julgamento;
  • Perceber, observar coisas que não são observadas pelos demais;
  • Brincar com as idéias, criando multiplicidade;
  • Buscar conciliação de opostos;
  • Usar os erros comeditos para aprendizagem;
  • Quebrar padrões, rotinas, etc..;
  • Predisposição interna;
  • Humor;
  • Desafie as normas e
  • Receptividade as novas idéias, tanto as suas como as dos demais.

          Melhores momentos do Oscar da Criatividade:

  • Cantando no chuveiro;
  • No trânsito, na fila do cinema, no metrô;
  • Escutando um sermão, dos mais diversos;
  • Fazendo trabalhos manuais;
  • Durante a insônia;
  • Academia de ginástica;
  • Durante reuniões improdutivas;
  • Na casa da sogra;
  • No ócio;
  • Ou sob pressão.

Publicado na revista : RH EM SNTESE 23 Julho/Agosto 1998 - Ano IV

Maria Inês Felippe: Palestrante, Psicóloga, Especialista em Adm. de Recursos Humanos e Mestre em Desenvolvimento do Potencial Criativo pela Universidade de Educação de Santiago de Compostela - Espanha. Palestrante e consultora em Recursos Humanos, Desenvolvimento Gerencial e de equipes, Avaliação de Potencial e competências. Treinamentos de Criatividade e Inovação nos Negócios. Palestrante em Congressos Nacionais e Internacionais de Criatividade e Inovação e Comportamento Humano nas empresas. Vice Presidente de Criatividade e Inovação da APARH.

Clique aqui para imprimir esse artigo  
  Mais artigos de Maria Inês Felippe
   
Página inicial